segunda-feira, 12 de abril de 2010

TRT-CE debate implantação de processo eletrônico

O Tribunal Regional do Trabalho do Ceará - 7ª Região, por intermédio da Escola Judicial, promoveu palestras com representantes do TRT da Paraíba - 13ª Região sobre o processo eletrônico, já implantado no TRT paraibano, e que chega ainda este ano à Justiça do Trabalho do Ceará.
O evento, dirigido a magistrados, advogados e servidores, aconteceu durante toda a manhã do dia 06 de abril, no Fórum Autran Nunes, onde funcionam as 14 Varas do Trabalho de Fortaleza.
Na abertura do evento, o presidente do TRT/CE, desembargador José Antonio Parente da Silva, disse que “a indispensabilidade do processo eletrônico é uma realidade porque traz velocidade e economia. No último encontro do COLEPRECOR, colegiado que reúne os presidentes e corregedores dos TRTs, muitos tribunais aderiram ao sistema da Paraíba, que já é uma realidade. E o Ceará também aderiu. No início da nossa gestão, nós procuramos saber como estava o setor de informática do Regional. Daí, passamos a investir mais em recursos humanos e equipamentos, melhores condições de tecnologia, incluindo a seleção de novos servidores por meio de concurso público. A informática tem que ter o melhor desenvolvimento possível para que possa dar maior agilidade e celeridade no atendimento às demandas judiciais”, afirmou o presidente.

Durante o evento, o presidente do TRT/CE, desembargador Antonio Parente, e o presidente da OAB/CE - Ordem dos Advogados do Brasil, secção Ceará, Valdetário Andrade Monteiro, assinaram convênio visando compartilhar soluções e informações técnicas necessárias à implementação do processo virtual, além de incentivar o uso do novo sistema entre os advogados. O novo processo eletrônico substitui o atual processo de papel.
Para o presidente do TRT/CE, “é preciso incrementar o mais rápido possível esse processo eletrônico e o engajamento da OAB/CE no projeto é fundamental já que o advogado é um dos protagonistas dessa história, dessa forma de se fazer Justiça”, afirmou o desembargador Antonio Parente.

2 comentários:

  1. Inexorável a virtualização. Aliás, adquiri uma obra da editora Forense cujo título é Teoria Geral do Processo Eletrônico, que acompanha ainda um CD-Rom. Daqui a pouco, será obra obrigatória em todas as estantes.

    ResponderExcluir
  2. Por acaso a obra supracitada é de autoria de José Carlos de Araújo Almeida Filho, presidente do IBDE e que acompanha um DVD informativo? (PROCESSO ELETRÔNICO E TEORIA GERAL DO PROCESSO ELETRÔNICO - A INFORMATIZAÇÃO JUDICIAL NO BRASIL).
    Vi a obra e não resisti, acabei comprando!

    ResponderExcluir

Postagens Recentes: